Desfralde: Período onde a sua paciência e força de vontade é testada ao limite!! Pelo menos por aqui está sendo assim….

A Ana Rosa está com 2a11m e ainda usa fralda, começamos o desfralde esse mês! Pra quem ainda não sabe, a Aninha fala pouco e começou a “soltar a língua a pouco mais de 3 meses depois de várias sessões de fono, esse já foi o nosso primeiro desafio, como desfraldar uma criança que não fala? Com ajuda da fono “apresentamos pra ela o xixi e o coco” algo simples, mais bem repetitivo, toda vez que eu ia ao banheiro levava ela, toda troca de fralda eu mostrava e enfatizava que era “Eca!” “Fedido” “Sujo” palavras que ela foi aprendendo e aos poucos repetindo.

Assim que começou a esquentar (novembro) começou o desfralde na escola. A essa altura eu já estava preparada, comprei 30 calcinhas (10 melhores e 20 mais baratas pra que se eu precisasse jogar fora não iria “doer”), comprei vários vestidinhos de malha e penico.

Porém na escola foi um fracasso, a Ana simplesmente não aceitava sentar no mini vaso sanitário que eles tinham, era um escândalo e passava o resto da tarde chorando, em 1 semana desistimos do desfralde na escola e adiamos os planos até o termino das aulas, acabávamos deixando sem fralda em casa pra ela começar a entender o processo.

E a frustarão? Me frustava ver outras crianças bem mais novas já desfraldadas e por aqui nada. O fato dela ter começado a falar bem mais tarde já deveria me deixar ciente que cada criança tem o seu tempo, mas não, só agora tenho isso mais certo na minha cabeça e repito muito essa frase sempre que alguém me pergunta: “Ela ainda usa fralda?” “Ela ainda não fala?” “Ela ainda usa chupeta?” e pra outras neste estilo que nós mães escutamos todos os dias…. CADA CRIANÇA TEM O SEU TEMPO E O DELA AINDA NÃO CHEGOU!

Com o fim das aulas me deparei com as festas de final de ano e percebi que não conseguiria iniciar um desfralde nessa época, acabamos esperando a virada do ano pra iniciar. Oficialmente começamos dia 03/01/2015, as principais mudanças que ocorreram nesses 2 meses foram muito importantes: ela está se comunicando melhor, já entende o que é coco e xixi, percebe quando está com vontade e resolveu que o penico é um brinquedo, acabei precisando trocando por um redutor.

Confesso que a primeira semana foi divertida, tudo era novo, a cada xixi no banheiro era uma festa, mas cansa, por que pra cada acerto tem 5 erros, mas faz parte do processo. A segunda semana foi a minha prova de paciência, teve dias que tinha certeza que ela fazia de propósito, eu perguntava, levava ela ao banheiro e nada, 2min depois xixi no chão, confesso que pensei por diversas vezes em colocar a fralda pra ter uma dia mais tranquilo, mas consegui me segurar. Estamos na terceira semana, ontem já teve mais xixi no vaso sanitário do que no chão, ela já percebe que quando faz xixi no chão é errado, antes ela achava divertido, chegava a brincar. Sei que ainda teremos várias semanas até completar o desfralde, mas pela primeira vez percebo que estamos no tempo certo, fazendo as coisas com calma sem pressão e ansiedade!

Por enquanto a Ana só fica sem fralda em casa ou onde não possa acabar com o tapete ou estofado de ninguém, enquanto eu não sentir firmeza, não saio com ela sem fralda, muita gente veio me dizer que isso confunde, que é errado, mas preferi fazer dessa maneira e está funcionando, pq diversas vezes ela me pediu pra fazer xixi mesmo estando de fralda.

A principal dica que eu tenho da pra dar é: Sinta como está a evolução do seu filho, perceba o que funciona melhor pra vocês, existem milhões de “receitas” de como desfraldar crianças, mas cada criança é diferente, então o que pode funcionar pra vocês, pode ser um erro enorme por aqui!

Cada criança tem o seu tempo, são diferentes e precisamos respeitar isso!!!

Meu nome é Luiza, tenho 29 anos, Design de Interiores, casada com o José Vitor e mãe de uma linda flor a Ana Rosa, que nasceu em fevereiro de 2012! A nossa "Flor" não foi planejada e essa minha nova função, ser mãe, está sendo uma experiência de muito aprendizado, emoção e alegrias!!!

This entry was posted in Comportamento, Saúde and tagged , , . Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta